02 setembro, 2010

Capas de disco históricas – Cheap Thrills (The Big Brother and The Holding Company)

Por Luiza Barros


Se talvez o extenso nome da banda que assina esse disco não possa dizer nada para você, o de sua vocalista certamente diz: Janis Joplin. Lançado em 1968, Cheap Thrills foi o segundo e último trabalho da lendária cantora ao lado dos companheiros do The Big Brother and The Holding Company. A partir daí, a cantora seguiria para uma carreira solo, prematuramente encerrada com a sua morte, em outubro de 1970.

Um verdadeiro clássico, Cheap Thrills possui várias músicas que ficaram consagradas na voz de Janis, tais como “Summertime”, “Piece of My Heart” e “Ball and Chain”.

Assim como o seu conteúdo, a capa também é assinada por um outro grande ícone da época: o cartunista Robert Crumb, que esteve recentemente aqui no Brasil, na Festa Literária de Paraty. Uma grande fã do trabalho do desenhista, foi Janis quem o escolheu para assinar o desing gráfico. Mas apesar do voto de confiança, a cantora interferiu no trabalho final. Crumb queria que a história em quadrinhos com os nomes das faixas e dos músicos ficasse na contra-capa, enquanto a capa em si deveria ser um retrato de Janis. No entanto, a cantora achou a ilustração tão boa que mandou a gravadora Columbia colocá-la na frente.

Antes disso, a banda tinha outros planos para a capa: uma foto do grupo inteiro nu, na mesma cama. É claro que a ideia foi vetada pela gravadora. Mas o mundo da música não ficaria livre de hippies peladões em 1968. Em novembro, três meses após o lançamento de Cheap Thrills, chegaria às lojas o Unfinished music n° 1: Two Virgins, disco experimental de John Lennon e Yoko Ono, cujo maior feito foi mostrar ao mundo o que ele menos queria ver: os pelos pubianos do referido casal.

Melhor para o Cheap Thrills, que mais tarde foi eleito pela revista Rolling Stone como dono da nona melhor capa de disco de todos os tempos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugira, comente, manifeste-se sobre esse post!